fbpx

Por que não se aprende inglês nas escolas regulares?

Você sabe por que não se aprende inglês nas escolas regulares? Entenda melhor no nosso post.

A necessidade de aquisição de fluência em inglês é um assunto já conhecido e sabido por todos. E, mesmo assim, o nível de falantes do idioma no Brasil é muito abaixo do que é considerado ideal.

Se as pessoas têm ciência da importância do inglês para a vida pessoal e trabalho, por que será que os alunos não aprendem esse idioma dentro das próprias escolas? Acompanhe nosso post e entenda alguns motivos.

Metodologia inadequada

Um dos grandes gaps no ensino de inglês dentro das escolas regulares, sem dúvidas, é a metodologia inadequada. Para que os alunos adquiram conhecimento e avancem no aprendizado, é necessário que a metodologia de ensino seja estruturada e focada nos objetivos certos.

E quando falamos em metodologia, precisamos considerar muito mais que os materiais didáticos utilizados. Por mais que eles sejam importantes e essenciais, há outros componentes que integram uma metodologia e fazem com que o projeto dê certo.

Esse ponto é importante pois sabemos que muitas escolas adquirem materiais didáticos para ensinar inglês sem questionar se a metologia adapta-se ao modelo de ensino da instituição e à sua filosofia.

Foco no idioma

Ser fluente em inglês é o objetivo principal de quem inicia o curso, e isso não está errado, afinal, buscamos esse ensino para dominar a língua e interagir por meio dela. O que precisamos entender é que, a estrutura gramatical de um idioma, por ser diferente da língua-mãe do aluno, pode gerar frustração e desânimo

por mais intuitiva que seja, a língua é diferente da nossa cultura e possui contextos e ideias que contrastam com a realidade brasileira. Mas isso não é de longe um problema.

Tempo insuficiente de contato com a língua

Já falamos aqui no blog sobre a importância do contato diário com o inglês e vale relembrar dos benefícios que a frequência de estudo proporciona. Para adquirir fluência na fala, os nossos sentidos, o nosso sistema motor e o cérebro precisam decifrar e armazenar o conteúdo a fim de reproduzi-lo de maneira natural. E aqui vale aquela famigerada expressão: a pratica leva à perfeição.

Quando fazemos isso todos os dias, a aquisição desse volume de informações se tona cada vez mais fluida e rápida, enquanto a exposição curta do inglês não gera bons resultados. Muitas escolas oferecem aulas de inglês em dois ou três dias da semana, mas entendemos que esse contato é insuficiente para os objetivos de fluência.

Os programas bilíngues da Simple têm, no mínimo, 5 aulas semanais de inglês, pois entendemos que um contato diário com a língua é decisivo para que o aluno evolua as suas habilidades de comunicação na língua inglesa.

Aulas fora do contexto

Nesses mais de 10 anos de mercado, temos aprendido que uma metodologia distante da realidade do aluno desfavorece o aprendizado. Isso acontece porque cada idade tem seus aspectos particulares e precisa de contexto para assimilar o que o professor fala.

A partir do momento que contextualizamos os materiais a cada faixa etária, o rendimento e interesse do aluno pelo idioma aumenta. Isso acontece porque ele consegue se ver em cada situação.

Um pré adolescente, por exemplo, terá mais engajamento em uma matéria que fala sobre youtubers do que um texto sobre negócios, por exemplo. Cada assunto tem o seu momento e o seu público. Assim, cuidamos para que o envolvimento e interesse nas aulas seja intenso e íntimo do aluno.

Professores despreparados

Outro ponto importante para ser levado em conta é a preparação dos professores. Entendemos que o profissional que lecionará para uma turma com foco em alcançar a fluência precisa, no mínimo, ser fluente no idioma.

Além disso, o profissional precisa receber treinamento e capacitação dentro da metodologia adotada pelo colégio, para que ele compreenda o que foi planejado e siga um plano direcionado. Além de ser capacitado, o professor precisa ser um exemplo para a turma.

Materiais e recursos escassos

Todo conteúdo, para que se destaque e promova o aprendizado, precisa ser abordado de maneira criativa e didática. E os materiais são a forma de traduzir o que o pedagogo planejou para reforçar e fixar aquele conteúdo.

Aqui na Simple, a equipe que planeja os materiais que acompanham os programas, levam em conta a rotina dos alunos e a dinâmica dentro da sala de aula. Assim, é possível pensar em um conteúdo programático que potencialize essa experiência.

Além de livros, é preciso ter recursos que fomentem o envolvimento com o que está sendo ensinado: jogos, contação de histórias e músicas são algumas das atividades que podem integrar esses materiais. Quando a escola fica presa a um livro, há um grande risco de os alunos perderem o interesse na turma e desanimá-lo.

Espero que este texto tenha lhe ajudado a entender os motivos de não se aprender inglês na escola. Se você gostou e gostaria de conhecer nossos programas de inglês para escolas, entre em contato conosco e conheça nossas propostas.

Relacionados

O que muda quando uma escola torna-se bilíngue?

A formatação de uma escola regular em escola bilíngue gera mudanças em vários aspectos.

Educação Bilingue

Legislação para escola bilíngue no Brasil: entenda em detalhes

Há uma legislação que regulamenta as instituições bilíngues no Brasil?

Educação Bilingue

Quero transformar minha escola em bilíngue, o que preciso fazer?

Está planejando transformar a sua escola em bilíngue? Descubra tudo o que precisa ser feito.

Educação Bilingue